Do Capitalismo para o Digitalismo

- pequeno glossário de termos marxistas

 
 

 

 

BASE MATERIAL: verMODO DE PRODUÇÃO

 

CAPITAL: é um valor utilizado com o objectivo de incrementar valor. A sua forma mais comum é o dinheiro Mas o dinheiro não é em si mesmo capital.  Se  for usado apenas como intermediário na troca de Mercadorias (comprar, vender, para comprar de novo), o que corresponde à fórmula M-D-M (mercadoria –> dinheiro –> mercadoria), chega ao fim com o mesmo valor.

se transforma em capital quando usado, como adiantamento, para multiplicar valor.

E como a Força de Trabalho gera Valor, chega-se à chamadafórmula da mais-valia”: D-M-D’ (dinheiro –> mercadoria –> dinheiro) em que D’ é maior do que D, e onde a mercadoria essencial é a Força de Trabalho 

 

CAPITAL CONSTANTEMarx designava assim a parte do Capital que era investida em materiais e nos componentes comprados para serem incorporados na mercadoria a vender, e os instrumentos maquinaria, ferramentas e materiais de apoio e cujo valor à medida que se “desgasta” vai passando para as mercadorias produzidas, até que necessitam de ser renovados. A designação de “constante deriva do facto de o seu valor não aumentar no decurso do processo de produção.

 

CAPITAL VARIÁVEL: para Marx era a porção do Capital que era investida em Salários, ou seja na compra de Força de Trabalho. A designação de “variável deriva do facto de ser esta parte do Capital a que obtém a Mais-Valia , uma vez que o trabalho produz valor. Portanto esta é a porção do Capital que é maior no fim do ciclo de produção do que era no princípio. (D-M-D’).

 

CAPITALISMO: verMODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA

 

CLASSES: grandes grupos de pessoas que se distinguem pela posição que ocupam num sistema historicamente definido da produção social, pela sua relação com os meios de produção, pelo seu papel na organização social do trabalho e consequentemente, pelos meios de obtenção e a magnitude da parte da riqueza social que lhes cabe.

 

COMPOSIÇÃO ORGÂNICA DO CAPITAL: determina-se pela proporção em que o capital se divide em CAPITAL CONSTANTE  (ou valor dos meios de produção) e CAPITAL VARIÁVEL (ou soma total dos salários).

 

D-M-D’: verCAPITAL

 

FORMAÇÃO ECONÓMICO-SOCIAL: tipo de sociedade historicamente determinada com a sua Base (modo de produção) e a correspondente Super-Estrutura (concepções e instituições políticas, jurídica, religiosas, filosóficas, artísticas). Base e Super-Estrutura interagem dialecticamente no desenvolvimento do processo histórico.

 

FORÇA DE TRABALHO combinação das capacidades físicas e mentais existentes num ser humano e que ele exercita quando produz qualquer bem ou serviço. O trabalho, medida do Valor, não é ele mesmo valor; o que possui valor é a Força de Trabalho quando se torna Mercadoria. E o valor dessa Mercadoria, como o de qualquer outra é calculado com base no seu custo de produção e reprodução (Meios de Subsistência). A Força de Trabalho é assim a única mercadoria cujo valor de uso, quando associada às outras condições de produção, é o de criar um Valor.

 

FORÇAS PRODUTIVAS: são os objectos do trabalho, ou coisas a que se aplica o trabalho (p. ex. matérias primas) e os meios de trabalho usados para produzir bens materiais (p. ex. máquinas, instrumentos, instalações, formas de energia) e os próprios homens que com eles trabalham.

 

MAIS-VALIA: quando integrado num processo de produção a Força de Trabalho gera um Valor maior do que o seu próprio; essa diferença é a Mais-Valia. Para Marx, o trabalhador recebe sempre apenas o valor da sua Força de Trabalho, que ele realiza durante uma parcela do tempo em que trabalha. No tempo restante, o trabalho executado (Sobre-Trabalho) constitui a criação do valor extra (Mais-Valia) que reverte para o capitalista.

 

MEIOS DE PRODUÇÃO: verFORÇAS PRODUTIVAS”

 

MEIOS DE SUBSISTÊNCIA: meios que têm de ser consumidos pelo trabalhador para produzir, desenvolver, manter e perpetuar a sua Força de Trabalho. Ou seja para lhe permitir as condições físicas e mentais para continuar a trabalhar, procriar e educar os filhos.

 

MERCADORIA: é qualquer coisa (bem ou serviço) que é produzida com o objectivo de ser trocada por outra coisa e não para uso de quem a produz.

 

MODO DE PRODUÇÃO: engloba as Forças Produtivas e as Relações de Produção. Nas primeiras incluem-se os instrumentos, as energias e os homens (Base Material). Nas segundas as ligações e relações que se estabelecem entre os homens no processo de produção (forma social). O marxismo considera 5 modos de produção: o Comunitário-primitivo, o Esclavagista, o Feudal, o Capitalista e o Comunista.

 

MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA: sistema sócio-económico em que as relações sociais são baseadas na produção de Mercadorias para troca, na propriedade privada dos Meios de Produção e no Assalariamento do trabalho. Neste sistema as classes principais são o proletariado, que vende Força de Trabalho e a burguesia que compra Força de Trabalho. O Valor de cada produto divide-se em 2 parcelas com diferentes destinos: Salário e Lucro; e existe uma irreconciliável luta de classes sobre essa divisão. A Relação de Produção típica da sociedade capitalista é o Assalariamento em que os proprietários dos Meios de Produção compram a Força de Trabalho daqueles que os não detém e a usam para aumentar o valor da sua propriedade (Capital) através da apropriação da Mais-Valia.

 

RELAÇÕES DE PRODUÇÃO: relações entre os homens no processo da produção que determinam o seu posicionamento nesse processo; inclui as formas de propriedade e as formas de distribuição dos bens materiais.

 

SALÁRIO: é o equivalente do valor da Força de Trabalho posta ao serviço do capitalista. Depende do valor dos Meios de Subsistência e portanto pode necessitar de uma parcela maior ou menor do tempo de trabalho para se realizar.

 

TAXA DE EXPLORAÇÃO também chamada Taxa de Mais-Valia.

É a proporção entre o Trabalho Necessário e o Trabalho Excedente.

 

TEMPO DE TRABALHO NECESSÁRIO:  é a parte da jornada de trabalho em que o trabalhador produz o equivalente aos seus Meios de Subsistência para o mesmo período (ou seja, ao salário que lhe é pago)

 

TEMPO DE TRABALHO EXCEDENTE: é o tempo que sobra do Trabalho Necessário na jornada de trabalho, e que é portanto prestado gratuitamente

 

TRABALHO SOCIALMENTE NECESSÁRIO: quantidade/tempo de trabalho necessário para a produção de uma Mercadoria, num dado estado da sociedade, em condições sociais médias de produção, com uma dada intensidade social média e habilidade média do trabalho empregue.

 

VALOR: uma Mercadoria é um bem (ou serviço) que satisfaz uma necessidade humana que pode ser trocado por outro. A utilidade de um bem  dá-lhe o valor de uso. Valor de troca (ou simplesmente, Valor) é a proporção em que um dado numero de valores de uso de um certo tipo pode ser trocado por um dado numero de valores de uso de outro tipo.

O que há de comum entre os bens é que são produtos do trabalho. A magnitude do Valor é determinada pelo Tempo de Trabalho Socialmente Necessário para a produção de uma dada Mercadoria, ou seja de um dado valor de uso.

No processo histórico passou-se da forma elementar do Valor, na qual se trocava uma Mercadoria por qualquer outra Mercadoria, para a forma universal do Valor em que o dinheiro se tornou o equivalente universal.