O Conceito Digital

 

 

O conceito DIGITAL, consiste na representação da informação utilizando apenas dois símbolos ou dígitos binários: “0” e “1”.

Fazendo uma analogia simples: Para escrever um texto em português usamos um conjunto de 23 símbolos ou letras; combinando-as segundo certas regras gramaticais podemos representar todas as palavras da nossa língua. Usando a representação digital, e seguindo também certas regras, bastam-nos 2 símbolos para o mesmo efeito.

Mas enquanto as letras do alfabeto apenas servem para escrever texto, os dígitos binários podem igualmente representar qualquer imagem ou som.

Na verdade, na medida em que a informação digital é hoje tratada por dispositivos electrónicos, em vez de “símbolos” será mais correcto falar de “estados”. Todo o dispositivo que possa assumir dois estados, por exemplo “aceso” ou “apagado”, está em condições para tratar informação digital. Por exemplo, uma simples lâmpada com um interruptor, num dado momento ou está acesa ou apagada e esses estados podem ser interpretados como “1” e “0” respectivamente.

Teòricamente, com uma lâmpada poderíamos compor e transmitir um texto. Tudo dependeria do seu tamanho e da velocidade de manipulação do interruptor! Na prática os dispositivos electrónicos têm circuitos que efectuam biliões de mudanças de estado por segundo.  Como todos podemos comprovar os nossos computadores pessoais apresentam-nos em fracções de segundo textos mais ou menos longos e imagens mais ou menos complexas que estão registados nas  memórias de armazenamento em enormes sequências de dígitos binários organizadas segundo certas regras, e que os processadores convertem em imagens ou frequências sonoras captáveis pelos nossos sentidos.

Esta extraordinária simplificação permite às máquinas lidar com informação complexa sem que essa complexidade afecte o rendimento; e é por isso que se tem verificado um aumento galopante da velocidade de processamento e da capacidade de armazenamento que não se traduz, antes pelo contrário, num aumento do preço dos dispositivos.

Outro aspecto muito importante da representação digital da informação é a sua fiabilidade, nomeadamente quando está em causa a transmissão à distância. É mais fácil garantir a exactidão de apenas 2 símbolos, mesmo que ocorrendo em grande numero, do que por exemplo a da infinidade de frequências sonoras de uma peça musical.

Sem a invenção da representação digital, não teria sido possível a explosão do acesso planetário à informação através das redes de computadores, e não se teriam registado os progressos científicos das últimas décadas.

No entanto, esta revolução iniciada no sec XIX, está longe ainda de ter esgotado as suas virtualidades e, tal como aconteceu com a invenção da imprensa, é previsível que acabe por provocar uma viragem profunda em termos de civilização.

 

 

Voltar a "Do Capitalismo para o Digitalismo"