Gestão Estratégica - Caracterização e Modelo (Parte 1)

ver parte 2

Gestão Estratégica

 

1 - INTRODUÇÃO 

O mundo dos negócios encontra-se em transformação acelerada. Fusões e aquisições transformam o ambiente. As fronteiras esbatem-se e os negócios são encarados numa perspectiva cada vez mais global. As tecnologias da era da informação reduzem o tempo necessário à recolha de informações e à tomada de decisões.

A abordagem do tema tem que ser vista numa perspectiva holística do geral para o particular podendo sintetizar-se nos seguintes pontos:

1.      análise dos principais conceitos necessários à compreensão e gestão dos temas da gestão estratégica;

2.      análise da envolvente externa e do ambiente interno que condicionam e determinam a vida da organização, não esquecendo a da responsabilidade social e a análise específica da indústria ou sector onde a organização se insere;

3.      a formulação das estratégias, o planeamento de longo prazo e o desenvolvimento de alternativas;

4.      a implementação das estratégias e políticas em termos de organização, planeamento, staff e direcção, não esquecendo a respectiva avaliação e controle (planos, orçamentos e procedimentos entre outros).

Mas porquê a gestão estratégica?

Nos dias de hoje não é possível gerir com sucesso com base em regras sólidas, estáveis e duradouras, políticas históricas ou simples extrapolações das tendências actuais. Ao contrário, tem que se olhar para o futuro, definir objectivos  estratégias e as respectivas políticas. Em todas as áreas tem que se ultrapassar a experiência e formação, captar a fotografia global, e fazer as perguntas chave:

1.      onde estamos?

2.      onde estaremos dentro de um, dois, cinco anos se não mudarmos nada?  será isso aceitável?

3.      se não, o que fazer, quais os riscos e potenciais prémios?

E há sempre dois perigos para quem não está atento:

1.      falhanço na antecipação da mudança

2.      falhanço na adaptação à mudança

A gestão estratégica procura dar resposta a esta problemática de turbulência e instabilidade onde a única certeza é a mudança. A sua característica distintiva é o enfoque dado às decisões estratégicas que têm normalmente três características:

1.      são raras – são invulgares e normalmente não têm precedentes;

2.      são de impacto – normalmente mobilizam grandes recursos e exigem muita atenção;

3.      são percursoras – estabelecem precedentes para acções / decisões futuras.

  

 

 

ContactarOutros artigos deste Autor