O Hiper-Espaço Empresarial

Lisboa, 3 de Dezembro de 2001

O Hiper-Espaço Empresarial

No princípio deste ano, iniciamos a publicação destas crónicas fazendo referência ao filme “2001 – Odisseia no Espaço” e ao facto de não existir qualquer filme com o título “2001 – Odisseia na Gestão”. Consideramos que a Gestão Empresarial criou novos conceitos, prontamente explorados ao nível dos Sistemas de Informação, e que a aliança entre estas duas entidades contribuiu significativamente para a melhoria dos padrões de vida nas sociedades ocidentais.

Nos últimos anos foram realizados muitos estudos sobre a realidade empresarial, foram propostas muitas formas diferentes de abordar e resolver problemas similares e foram criadas muitas “buzzwords” que se revelaram importantes na “venda” e implementação dos novos conceitos. No entanto, nunca consegui encontrar muitos trabalhos que permitissem clarificar as reais dimensões do espaço em que se insere cada empresa e, que a partir desta caracterização, fossem identificadas as forças que actuam sobre cada uma destas dimensões. A identificação das forças que actuam sobre cada dimensão do espaço empresarial é fundamental para a criação de ferramentas que permitam controlar ou dominar o seu impacto na organização.

Michael Porter apresentou-nos o modelo das Cinco Forças (Five Forces) que influenciam a intensidade da competição em determinado sector económico e que moldam a estratégia das empresas: Força Negocial dos Clientes, Força Negocial dos Fornecedores, Ameaça da Entrada de Produtos Substitutos, Ameaça de Entrada de Novos Concorrentes, Intensidade da Rivalidade entre Concorrentes. A estas Cinco Forças podemos associar Cinco Dimensões do Hiper-Espaço Empresarial – Clientes, Fornecedores, Produtos Substitutos, Potenciais Concorrentes, Concorrentes. Mas serão estas forças suficientes para caracterizar o espaço empresarial de uma empresa e influenciar a sua estratégia?

Todas as evidências indicam que estas forças são fundamentais mas que não são suficientes para a caracterização do espaço empresarial. Não querendo entrar no campo da especulação, gostaria de apresentar o que me parece ser um bom modelo para a caracterização do Hiper-Espaço Empresarial.

Este é um modelo a Treze Dimensões (mais o Tempo):

·          Três Dimensões Internas ou Nucleares - Pessoas, Tecnologias, Produtos/Serviços, e

·          Dez Dimensões Exteriores ou Atmosféricas - Concorrentes, Potenciais Concorrentes, Fornecedores, Clientes (Distribuidores e Consumidores podem ser Dimensões adicionais), Accionistas, Associações Empresariais, Associações Ambientalistas, Estado, Comunidade Próxima, Economia Global.

·          À “cola” que mantém a interligação entre estas Dimensões, chamamos Processos de Negócio.

Estas Dimensões permitem caracterizar o Espaço Negocial de cada empresa. É sobre estas Dimensões que são exercidas Forças (Transacções) que condicionam a sobrevivência das empresas. Cada empresa pertencerá ao mesmo sector económico se houver uma similitude nas características e intensidade das Forças que actuam sobre o seu Hiper-Espaço Empresarial (ou Negocial).

A identificação e caracterização destas Forças é de extrema importância para a sobrevivência da organização. Todos os Processos de Negócio (ou Políticas Económicas) de uma organização têm como objectivo manter acesa a chama da vida empresarial. Conhecer a eficiência destes Processos nas 13 Dimensões do Hiper-Espaço Empresarial deve ser o objectivo de cada empresa. O papel dos Sistemas de Informação sempre foi (e será) o de identificar, recolher, tratar e reportar o maior número de Forças possível, e desta forma manter actualizado o Conhecimento que cada organização detém sobre ela própria.

Mas qual a real importância deste modelo? Não será mais uma especulação sem qualquer benefício prático?

O  modelo que apresentei é muito simples e necessita de muito mais trabalho à sua volta. No entanto, permite a cada gestor olhar para a sua organização de uma forma estruturada e pensar se o seu actual Sistema de Informação permite obter uma imagem razoavelmente fiel das Forças exercidas sobre cada uma das Dimensões do seu Hiper-Espaço Empresarial.

·          Será que está confortável com a rapidez e qualidade da informação que lhe é fornecida? Mantém muita informação em papel?

·          Será que conhece as deficiências tecnológicas da sua organização? O seu sistema de suporte à decisão está acessível num PC ou mantém uma bateria de colaboradores a produzirem relatórios em papel para que possa tomar determinada decisão?

·          Mantém um arquivo electrónico de documentos? Acede a este arquivo facilmente?

·          Será que mantém um controlo apertado sobre os Produtos/Serviços que coloca no mercado? Recolhe e classifica a reacções dos seus Clientes? Conhece a sazonalidade da compra? Com a produção de novos produtos não está a dar “tiros nos pés”? As suas campanhas de marketing “canibalizam-se”?

·          Será que conhece o “pulsar” da sua organização (ideias, motivações e objectivos dos seus colaboradores)? 

·          Será que está contente com o grau de eficiência dos seus processos de relacionamento com Clientes? Explora todos os canais de contacto disponíveis? Mantém uma linha de Serviço ao Cliente rápida e eficiente?

·          Será que mantém um bom relacionamento com a sua cadeia de Fornecedores? Aproveita todas as oportunidades de sinergia? Aproveita todos os descontos concedidos? Trabalha em conjunto com os seus fornecedores na optimização das suas linhas de produção?

·          Será que conhece o seus Concorrentes (e os seus Produtos)? Mantém uma base de dados sobre a actividade destes?

·          Será que estão identificados os Potenciais Concorrentes? De onde e quando podem surgir?

·          Será que dispõe de um óptimo sistema de “reporting” aos seus Accionistas? Em média, quanto tempo demora a responder a determinada questão?

·          Consegue usufruir de todas as vantagens proporcionadas pelo Estado? O seu “reporting” é fácil e toda a informação pode ser consultada rapidamente?

·          Conhece as actividades da sua Associação Empresarial? Participa nos seus eventos? Tem uma voz activa na tomada de decisões?

·          Qual o impacto das suas decisões na comunidade ambientalista? Conhece os seus interlocutores?

·          Conhece e preocupa-se com a Comunidade em que está inserido? Mantém activos projectos com esta Comunidade?

·          Que informação recebe sobre o comportamento da Economia Global? Só o Finantial Times? Só o canal Bloomberg?

·          Etc.

Estas são questões a que deve responder durante a sua Missão Empresarial. Hoje, mais do que nunca, é fundamental manter um conhecimento tão profundo quanto possível sobre o evoluir do maior número de Forças que actuam no Hiper-Espaço Empresarial. O seu Sistema de Informação deve conseguir fornecer-lhe respostas a estas e outras questões.

Será que consegue? Será que está preparado para isso?

Até breve,

José Pedro Gonçalves

Aspetus

  

 

 

ContactarOutros artigos deste Autor